HMS registra 622 vítimas de acidentes de trânsito no 1º quadrimestre de 2019

Maioria das vítimas estava de moto, com 342 feridos que representam 55% dos acidentados atendidos.
Primeiro acidente na BR-163 em 2019 aconteceu por volta das 18h30 próximo a comunidade São José — Foto: PRF Santarém/Divulgação

De janeiro a abril de 2019 o Hospital Municipal Dr. Alberto Tolentino Sotelo (HMS) em Santarém, no oeste do Pará, atendeu 622 vítimas de acidentes de trânsito. Os dados são considerados preocupantes. O maior percentual de acidentados é relacionado a ocorrências com motocicletas.

De acordo o hospital, maio foi o mês que mais recebeu vítimas de acidentes, e do total de 622 vítimas, 342 estavam em motos. A média diária de atendimento no setor de urgência e emergência do HMS é de quatro acidentados.

Lailson de Oliveira, 19 anos, faz parte dessas estatísticas. Ele atribui o acidente a imprudência e excesso de velocidade ao dirigir. “Eu quebrei as duas pernas e o braço em um acidente de moto. Eu estava em alta velocidade, quando bati na traseira do carro. Me arrependo, não farei mais. Nasci de novo”, disse.

Paulo Pires, ortopedista e chefe do setor de traumatologia, afirma que a maioria desses pacientes são jovens. “Na maioria das vezes as sequelas são muito impactantes para o paciente, pois têm casos que há perda de um membro ou a paralisia dele, desta forma também abrange uma sequela social”, explica.

Estatísticas

Em maio de 2011, a Organização das Nações Unidas (ONU) decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito, com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Organização contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente em 178 países. Entre 20 e 50 milhões de pessoas sofrem lesões não fatais, muitas delas resultando em incapacidade.

A OMS afirmou que o Brasil é o quarto em número de mortes por acidente de trânsito no mundo. “As lesões ocorridas no trânsito provocam perdas econômicas consideráveis para os indivíduos, suas famílias e países como um todo. Essas perdas decorrem dos custos com tratamentos bem como da redução/perda de produtividade”, disse o diretor do HMS, Itamar Junior.

(Blog Agora Notícia )

Fonte G1 Santarém Pará

waldemir

Radialista/Blogueiro,