Dom Flávio é nomeado novo bispo no Acre e deixará Diocese de Santarém

Papa Francisco acolheu o pedido de renúncia, por motivo de idade, apresentado pelo bispo de Cruzeiro do Sul. Dom Flávio Giovenale assumiu a Diocese de Santarém em 2012.
Dom-Flavio
Dom Flávio Giovenale durante homenagem à Nossa Senhora da Conceição — Foto: Adonias Silva/G1

SANTARÉM 

Bispo da Diocese de Santarém, no oeste do Pará, desde 2012, Dom Flávio Giovenale assumirá a Diocese de Cruzeiro do Sul, no Acre, após Papa Francisco acolher o pedido de renúncia apresentado por Dom Mosé João Pontelo, por motivo de idade. A nomeação foi publicada na quarta-feira (19).

Em carta de saudação enviada a Dom Flávio, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) disse que a contribuição do bispo à igreja é imensa e destacou que em trabalho solícito Flávio fez grandes trabalhos na regional norte 2.

Na carta, a CNBB saúda a transferência com as palavras de Papa Francisco. Veja na íntegra o trecho das palavras do Santo Padre.

“Evangelizadores com espírito quer dizer evangelizadores que se abrem sem medo à ação do Espírito Santo. No Pentecostes, o Espírito faz os Apóstolos saírem de si mesmos e transforma-os em anunciadores das maravilhas de Deus, que cada um começa a entender na própria língua. Além disso, o Espírito Santo infunde a força para anunciar a novidade do Evangelho com ousadia (parresia), em voz alta e em todo o tempo e lugar, mesmo contra-corrente. Invoquemo-Lo hoje, bem apoiados na oração, sem a qual toda a ação corre o risco de ficar vã e o anúncio, no fim de contas, carece de alma. Jesus quer evangelizadores que anunciem a Boa Nova, não só com palavras mas sobretudo com uma vida transfigurada pela presença de Deus”, (EG, 259).

Trajetória

Dom Flávio Giovenale nasceu na Itália, em Murello, província de Cúneo, em 5 de junho de 1954. Chegou no Brasil em 13 de setembro de 1974, em Belém. Estudou Filosofia em Lorena (SP), nos anos de 1975 a 1976. Também em São Paulo estudou Teologia, no Instituto Teológico Pio XI, de 1978 a 1981. Nos anos 1984 a 1985 esteve em Romac na Universidade Salesiana, onde recebeu o mestrado em espiritualidade.


De volta ao Brasil em 1986, desenvolveu cinco anos de trabalho pastoral em Manaus, no bairro do Aleixo como Pároco, Diretor das Obras Sociais e Diretor do Seminário. Foi eleito Conselheiro Administrador da Província Salesiana e Manaus, Encarregado das Obras Sociais e Fundador do Projeto “União pela vida”. Em 1997, o papa João Paulo IIº o nomeou bispo de Abaetetuba, no Pará.

Foi secretário (1999-2003), vice-presidente (2003-2004) e presidente (2004-2007) do regional Norte 2 da CNBB. Antes, trabalhou na Pastoral Vocacional no Pará entre 1982 e 1983. Também exerceu os postos de Reitor do Seminário Menor em Manaus, de 1986 a 1989; Reitor do Seminário Maior em Manaus, de 1990 a 1991; Ecônomo da Província, de 1992 a 1997 e também Procurador Missionário para o Brasil, de 1994 a 1997. Em setembro de 2012 foi nomeado bispo da Diocese de Santarém.

Íntegra da Carta de Saudação

“Prezado Irmão, dom Flavio Giovenale.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se alegra com sua nomeação para Cruzeiro do Sul (AC) publicada nesta quarta-feira, 19 de setembro. Agradecemos ao Papa Francisco que provê pastores para nossas Igrejas Particulares.

Sua contribuição para com a Igreja no Brasil é imensa. Queremos destacar, especialmente, o seu trabalho solícito feito pela Conferência e pelos organismos a ela conexos. Apreciamos sua atuação no regional Norte 2 e sua dedicação, durante vários, à Caritas Brasileira.

Saudamos sua transferência, Irmão evangelizador, com as palavras do Santo Padre: “Evangelizadores com espírito quer dizer evangelizadores que se abrem sem medo à ação do Espírito Santo. No Pentecostes, o Espírito faz os Apóstolos saírem de si mesmos e transforma-os em anunciadores das maravilhas de Deus, que cada um começa a entender na própria língua. Além disso, o Espírito Santo infunde a força para anunciar a novidade do Evangelho com ousadia (parresia), em voz alta e em todo o tempo e lugar, mesmo contra-corrente. Invoquemo-Lo hoje, bem apoiados na oração, sem a qual toda a ação corre o risco de ficar vã e o anúncio, no fim de contas, carece de alma. Jesus quer evangelizadores que anunciem a Boa Nova, não só com palavras mas sobretudo com uma vida transfigurada pela presença de Deus” (EG, 259).

Acolhemos a continuidade do seu ministério, rezamos pela sua caminhada. Desejamos uma vida cheia de frutos do Reino.”

Blog Agora Notícia 

Com Informações G1 Santarém 

waldemir

Radialista/Blogueiro,