Operação da PM prende quadrilha e descobre plantações com mais de 800 pés de maconha em Monte Alegre

Quatro pessoas foram presas por suspeita de cultivo da maconha. As plantações foram feitas no meio da mata fechada.


Equipes do 18º Batalhão Gurupatuba da Polícia Militar de Monte Alegre, no oeste do Pará, descobriram uma plantação de centenas de pés de maconha no meio da mata fechada na comunidade Alto Juari, zona rural do município. A operação denominada “Libertação” foi deflagrada na quinta-feira (13) e encerrou na tarde desta segunda-feira (17), sob o comando do tenente Dutra.

Segundo informações da PM, o objetivo da operação inicialmente era cumprir o mandado de prisão contra José Nunes, de 39 anos, conhecido como “Pingo”, suspeito de estupro de vulnerável de uma menina de 9 anos, e a retirada de adolescentes que estavam em situação de risco, sendo obrigados a trabalharem no cultivo de maconha.

Para chegar à localidade de difícil acesso, a PM utilizou carros e motos, e parte do trajeto teve de ser feito a pé. No local, a PM juntamente com o coordenador do Conselho Tutelar encontraram dois adolescentes, de 11 e 16 anos, que estariam sós a pelo menos seis dias em uma casa na área de mata fechada, sem as mínimas condições de higiene, segurança e sem alimentação.

Segundo a polícia militar, os adolescentes relataram que não estavam frequentando escola. Informaram ainda que seu pai estaria trabalhando em outra comunidade e que a mãe já não morava mais com eles. Disseram também que têm três irmãs, sendo que a mais velha, de 13 anos, está sob a tutela da Justiça, uma vez que teria sido abusada por “Pingo” desde os 9 anos de idade. Já as outras irmãs de 7 e 9 anos, teriam sido levadas para a casa de uma tia, pelo fato de “pingo” estar frequentando a casa na ausência do pai das adolescentes.

A plantação

Pouco tempo depois da chegada da polícia à residência onde os adolescentes de 11 e 16 anos estavam, outro adolescente de 17 anos, conhecido da polícia pela prática de delitos em Monte Alegre, chegou pilotando uma moto. Indagado pela polícia, ele contou que tinha ido até o local para comprar maconha, por ordem de um presidiário.

Os irmãos não tiveram outra alternativa a não ser revelar à polícia que no local havia uma plantação de maconha que seria de “Pingo” e que ficaria sob os cuidados do adolescente de 16 anos, que seria viciado em drogas.

A PM fez buscas na área e localizou cerca de 500 pés de mudas pequenas de Cannabis Sativa (Maconha).

Em outras comunidades próximas, nos setores 1,2,3,4 e 6, a PM também fez buscas na tentativa de capturar “Pingo” e outros integrantes de uma organização criminosa ligada ao tráfico de drogas. Porém, “Pingo” só foi preso na noite de domingo, na comunidade Serra Azul, no ramal do Catitu. Outros indivíduos que estavam em companhia do suspeito, fugiram pelo meio da mata.

Já na madrugada desta segunda-feira (17), uma equipe da Polícia Civil se integrou à PM e juntas localizaram no ramal do Catitu outras plantações de maconha com aproximadamente 300 pés, no total, prontos para serem colhidos. Devido ao difícil acesso à área, parte das mudas foram queimadas no local.

“A Polícia Militar atua no combate ao tráfico de drogas. Mas o nosso objetivo principal também era retirar os adolescentes daquela situação de risco em que se encontravam e destruir as plantações de maconha para que outras pessoas da nossa sociedade não venham a sofrer com esse mal”, declarou o tenente PM Dutra.

Confissão

Interrogado pelos policiais, “Pingo” confessou que ele e seus comparsas atuam na região há cerca de 5 anos, e que a maior parte da maconha plantada por eles já havia sido retirada e comercializada.

“Pingo” indicou a comunidade Malvina, como provável local para onde seus comparsas teriam fugido. As polícia Civil e Militar foram até o local na manhã desta segunda, e prenderam os suspeitos: Josivaldo Pereira, 20 anos, Jucinaldo Pinho, 20 anos e Josiclei Pereira, 19 anos.

Armas apreendidas com os suspeitos foram encaminhadas à Delegacia de Polícia Civil de Monte Alegre — Foto: Polícia Militar/Divulgação

A casa onde os suspeitos estavam escondidos é conhecida na comunidade como ponto de venda de drogas. Com eles, os policiais encontraram duas armas de fogo tipo espingarda e uma quantidade de maconha.

Os suspeitos, os pés de maconha, a droga e as armas apreendidas foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Monte Alegre, onde serão apresentados ainda nesta segunda, para os procedimentos cabíveis.

Blog Agora Notícia 

Com Informações G1 Santarém 


waldemir

Radialista/Blogueiro,