Distúrbio de Imagem: entenda o problema que afetou Bruna Marquezine

Bruna-Marquezine
Foto Reprodução Instagram
CELEBRIDADES 

Os polêmicos stories de Bruna Marquezine, compartilhados pela atriz em suas rede sociais, foram o assunto da semana. A atriz fez uma revelação preocupante: Bruna afirmou ter feito uso de laxantes por cerca de três meses para conseguir emagrecer, após receber críticas que estava ‘gordinha’. Olhar para o espelho e não se agradar com o que vê é o que acontece com pessoas que sofrem de distúrbio de imagem. E esse desconforto pode levar a pessoa a comprometer a saúde. O psicológico é sempre muito afetado. 

De acordo com o psiquiatra Higor Caldato, especialista em psicoterapias e transtornos alimentares, a pessoa passa a achar que suas pernas estão muito grossas ou que está com aqueles ‘pneuzinhos’ indesejáveis. E na busca pelo que imagina como o corpo ideal, muitas vezes a pessoa desenvolve bulimia, distúrbio alimentar sério em que a pessoa usa métodos para compensar uma compulsão alimentar, como provocar o vômito, usar laxantes ou remédios para emagrecer, além de fazerem exercícios físicos exagerados e jejum constante.

Agora com as redes sociais em alta, os padrões de beleza não são exibidos apenas na TV e em revistas. Com um clique você pode observar corpos ‘perfeitos’. Essas pessoas que tem esse problema setem necessidade de ficar se comparando com artistas e modelos, esquecendo que cada pessoa possui seu biotipo. Então aquele tão sonhado corpo não seja atingível, diz o psiquiatra. 

A psicóloga Livia Marques relembrou do caso da modelo paraense Nara Almeida, que morreu em maio de câncer, para exemplificar como o padrão de beleza cega as pessoas. A modelo colocou uma foto em suas redes sociais, de biquíni, muito magra, e as pessoas perguntaram nos comentários o que precisavam fazer para ter aquele corpo. E na verdade, a modelo estava doente. Na foto, Nara estava com uma sonda no nariz, que passou despercebida pela maioria dos fãs.

O tratamento de distúrbio de imagem é feito com profissionais de psicologia, psiquiatria ou de nutrição com prática no assunto. — Busque uma rede de apoio com amigos e a família e procure por uma equipe multidisciplinar para trabalhar a mente e o corpo — orientam os profissionais. 

Blog Agora Notícia 

(Com informações do Portal Extra)

waldemir

Radialista/Blogueiro,