‘Agressões já vinham acontecendo há bastante tempo’, diz familiar de criança que tinha hematomas no corpo

Agressão
Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente em Santarém (Foto: Geovane Brito/G1)

A família paterna da criança de um ano e três meses que morreu na manhã desta quinta-feira (23) após dar entrada desacordada no Pronto Socorro Municipal de Santarém, no oeste do Pará, pede justiça e diz que a mãe batia no menino por ciúmes do pai e que a criança já tinha sido levada ao PSM outras vezes após ser agredida pela mãe.

Segundo Gleise Bezerra, prima do pai do menino J.G.S.R, a mãe tinha ciúmes do companheiro e da filha de outro relacionamento. “Quando a criança ia passar o dia com eles, ela ficava furiosa e descontava na criança”, disse.

De acordo com Gleise, o casal brigava muito e a mãe batia tanto na criança como no companheiro. “Não é a primeira vez, as agressões já vinham acontecendo há bastante tempo. Há três meses a criança chegou no hospital toda roxinha e tinha outras marcas em todo o corpo, mas ela inventou uma história como fez agora”, contou.

Na época, a criança tinha apenas nove meses de idade. Os maus-tratos foram registrados no Conselho Tutelar que começou a acompanhar o caso, mas o menino morreu na manhã desta quinta. A Polícia Civil investiga o caso. Um laudo do IML apontará a causa da morte. No PSM, a médica que atendeu a criança informou que o quadro sugeriu que a criança teve uma broncoaspiração (aspiração de conteúdo gástrico).

Durante a tarde desta quinta a delegada Mila Moura, da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) ouviu uma tia da criança, a médica e a enfermeira que atuaram no atendimento da criança. Os pais da crianças também foram ouvidos. As informações estão em sigilo.

Blog Agora Notícia 

Com Informações G1Santarem Pa

waldemir

Radialista/Blogueiro,