Assassino confesso de professor é condenado a 27 anos de prisão em Oriximiná

Familiares e amigos de Ardson Ferreira acompanharam a sessão do júri popular que condenou Luan Tavares (Foto: Denise Evangelista/Arquivo pessoal)


ORIXIMINÁ

Assassino confesso do professor Ardson Ferreira, foi condenado a 27 anos de prisão, em sessão do júri popular, realizada nesta segunda-feira (7), na Câmara Municipal de Oriximiná, no oeste do Pará. O julgamento acompanhado por familiares e amigos da vítima foi presidido pela juíza Célia Gadotti.

Luan Tavares do Rosário, 22 anos, não foi condenado por homicídio, mas pelo crime de latrocínio. O pedido de desclassificação do crime de homicídio simples para latrocínio foi feito pelo Ministério Público, e acatado pelos jurados, por entenderem que o assassino matou para roubar pertences da vítima. Luan confessou ter levado o celular e uma moto pertencentes ao professor.

Ardson Ferreira, 33 anos, foi encontrado morto na madrugada do dia 9 de dezembro de 2016, na Rua da Granja, bairro São Lázaro, em Oriximiná. De acordo com a Polícia Militar (PM), o corpo apresentava várias perfurações, possivelmente provocadas por uma faca. A vítima era professor de matemática na rede estadual de ensino.

waldemir

Radialista/Blogueiro,