Incêndio no pátio do matadouro de Óbidos destrói lotes de madeira apreendida

Ações de combate às chamas estão sendo realizadas por servidores municipais desde o domingo (27). Causas do incêndio ainda são desconhecidas.

 


ÓBIDOS-PÁ


Um incêndio provocado por duas pessoas não identificadas no início da tarde de domingo (27), em Óbidos, oeste do Pará, já dura mais de 24 horas. As chamas já destruíram mais de mil metros cúbicos de madeiras que estavam armazenadas no pátio do antigo Matadouro Municipal. Os trabalhos de combate às chamas estão sendo realizados por 15 servidores com auxílio de carros pipas, caçambas e tratores.

Segundo relatos do vigia do antigo matadouro, o fogo iniciou do lado de fora do terreno, onde havia um acúmulo de lixo. Como a vegetação está muito seca, rapidamente as toras que estavam armazenadas na área ao lado, foram atingidas.

O órgão de fiscalização ambiental obidense é o fiel depositário da madeira fruto de apreensões de três procedimentos diferentes executados pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Semma municipal durante a operação “Au Revoir” deflagrada em 2015.

Combate ao incêndio que destruiu madeira apreendida em Óbidos, já dura mais de 24 horas (Foto: Mauro Pantoja/Ascom/PMO)

Combate ao incêndio que destruiu madeira apreendida em Óbidos, já dura mais de 24 horas (Foto: Mauro Pantoja/Ascom/PMO)

O forte vendo no local colaborou para que o incêndio ganhasse grandes proporções, segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Ednildo Queiroz. “Por volta de 12h50 de domingo nós fomos informados pelo secretário de Agricultura, Celson Rodrigues, que estaria pegando fogo na madeira que nós temos acondicionada no pátio do antigo matadouro. Quando chegamos ao local um dos lotes de Ipê que ficava próximo à cerca já estava sendo consumido pelas chamas que rapidamente se alastraram para os outros lotes que estavam no pátio”, relatou o secretário.

Devido à inexistência de uma brigada do Corpo de Bombeiros na cidade, servidores das secretarias de Meio Ambiente, Infraestrutura e Agricultura, foram chamados para realizar o trabalho de combate ao fogo. Sem os equipamentos adequados, pouco pôde ser feito para apagar as chamas de mais de três metros de altura.

O secretário conta que mesmo com todas as dificuldades, os servidores conseguiram preservar um lote, e desde o domingo trabalham para salvar o que o fogo não consumiu. “Estamos empurrando com tratores as toras que não foram queimadas, fazendo barricadas com terra, limpando a vegetação para que o fogo não se propague ainda mais, além de molhar a madeira que está intacta, já que o vento no local é muito forte e há o risco de fagulhas iniciarem um novo incêndio”, explicou.

O trabalho na área visa também a preservação do prédio do matadouro, que está a poucos metros das toras em chamas. Segundo os responsáveis pelo combate ao fogo, não há risco de o prédio ser atingido.

De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), foram consumidas pelo fogo toras de Ipê, Maçaranduba, Fava, Cupiúba e Angelim, totalizando mais de 3 milhões de reais em prejuízos. “Parte dessa madeira ainda estava com o processo judicial em andamento, mas a maioria já estava em processo de doação para o município, e seriam utilizadas para a construção de pontes e escolas na região do interior”, disse o titular da Semma municipal.

Combate ao incêndio que destruiu madeira apreendida em Óbidos, já dura mais de 24 horas (Foto: Mauro Pantoja/Ascom/PMO)Combate ao incêndio que destruiu madeira apreendida em Óbidos, já dura mais de 24 horas (Foto: Mauro 
POST : WALDEMIR SANTOS
INFO : G1 SANTAREM

waldemir

Radialista/Blogueiro,