Pará possui um dos piores índices de saneamento do Brasil; Ananindeua é a última da lista

PARÁ


O pará apresentou um dos piores índices de saneamento do Brasil,Santarém e Ananindeua

O Pará apresentou um dos piores índices de saneamento do Brasil. Foi o que revelou uma pesquisa realizada pelo Instituto Trata Brasil em parceria com a GO Associados, especializada em saneamento básico.

De acordo com o estudo, existem capitais e municípios na região Norte com indicadores de atendimento em esgoto próximos ou inferiores a 10%, como é o caso de Belém (12,8%).

Nos indicadores de saneamento das 100 maiores cidades do Brasil, a capital paraense ocupa 90ª posição, enquanto Ananindeua é a 100ª e última colocada no ranking 2017.

Para os indicadores de tratamento, a pesquisa revela problemas ainda mais preocupantes: apenas três capitais brasileiras tratam mais de 80% de esgoto, enquanto Belém tratado apenas 1,46%.

Municípios paraenses entre os piores no atendimento urbano de esgoto

Belém, Ananindeua e Santarém aparecem na lista dos municípios com os piores índices de atendimento urbano de esgoto.

A capital paraense está na 94ª colocação, acompanhada de Ananindeua e Santarém, respectivamente, penúltima (99ª) e última (100ª) colocada.

Quanto ao esgoto tratado em relação à água consumida, Belém (95ª) e Santarém (97ª) também apresentaram péssimos índices.

Santarém e Ananindeua estão entre os 10 piores  municípios

Ainda segundo a pesquisa, em relação aos indicadores de atendimento de água, coleta e tratamento de esgotos, índice de perdas e investimentos no período 2011-2015, dois municípios paraenses aparecem entre os 10 piores colocados no ranking do saneamento 2017: Santarém e Ananindeua.

A lista dos 10 piores em atendimento de água, 4 municípios atendem menos da metade da população: Macapá (AP), Porto Velho (RO), Santarém (PA) e Ananindeua (PA).

Já o indicador de atendimento total de esgoto, Santarém está entre os 10 municípios que coletam menos de 15% do seu esgoto – e com o agravante que a pesquisa considera que sequer existe coleta na cidade.

Pesquisa nacional

A pesquisa usa dados oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades, ano base 2015.

O estudo avalia ainda, a evolução dos indicadores de água, esgotos, investimentos e perdas de água nas maiores cidades e com foco nas capitais brasileiras.

POST : WALDEMIR SANTOS

INFO : DOL

waldemir

Radialista/Blogueiro,