Jatene continua ignorando ajuda da Força Nacional

Cristino Martins/Agência Pará

JATENE


O ministro da Integração Nacional Helder Barbalho recebeu, no último dia 7 de julho, um ofício de apoio do ministro da Defesa Raul Jungmann

 No último dia 7 de julho, um ofício de apoio do ministro da Defesa Raul Jungmann, reconhecendo a importância da solicitação feita por Helder para que a Força Nacional de Segurança Pública fosse ao Pará e ajudasse a deter a onda de violência no Estado.

Jungmann reconheceu que o apoio solicitado caracteriza uma operação de garantia da lei e da ordem do Estado paraense, mas, ao mesmo tempo, observou que esse tipo de operação somente poderá ser executado pelas Forças Armadas, mediante ordem formal do Senhor Presidente da República, por solicitação do governador do Estado.

Ou seja, o governo Jatene segue negando a ajuda federal para conter a insegurança no Pará, apesar da crescente onda de violência e a ausência de ações na área de Segurança Pública. O Pará é o 5º Estado mais violento do país, segundo dados do Atlas da Violência, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

No fim do mês passado, o ministro Helder já havia recebido ofício do ministro da Justiça, Torquato Jardim, com teor semelhante ao de Jungmann, reconhecendo, da mesma forma, a importância do pedido do ministro da Integração Nacional diante da “situação emergencial” por que passa a região. Mas , igualmente, Torquato verificava “a impossibilidade de atendimento ao pleito, uma vez que “o emprego da Força Nacional de Segurança Pública somente seria possível mediante solicitação expressa do governador do Estado do Pará”.

CALAMIDADE

Ou seja, mais uma vez fica demonstrada a disposição do Governo Federal, por meio de 3 importantes ministérios, em favor da Segurança Pública do Pará. Mas, numa postura já conhecida e que se repete, o governador Simão Jatene prefere ignorar a situação de calamidade da segurança do Estado ao se manter omisso em relação ao apoio. Bastaria apenas uma manifestação favorável do governador para que a Força Nacional viesse ao Pará.

Preocupado com a situação de violência no Estado, o ministro Helder Barbalho vem alertando para os altos índices de homicídios no Pará e se empenhando para garantir a segurança da população paraense. O Estado do Pará é o 5º mais violento do país e Altamira é a cidade mais violenta de todo o território nacional, segundo o Atlas da Violência.

O Pará tem uma média de 13 mortes violentas por dia. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), foram registrados mais de 440 homicídios na Região Metropolitana de Belém, somente nos primeiros 4 meses do ano. No ano passado, foram 3.650 casos em todo o Pará, sendo mais de 1.406 na Grande Belém.

POST : WALDEMIR SANTOS 

INFO : (Erica Ribeiro/Diário do Pará)

waldemir

Radialista/Blogueiro,