Confirmado primeiro caso de febre chikungunya em Belterra, no PA

Cidade de Belterra, Oeste do Pará, registro primeiro caso de febre chikungunya (Foto: G1 Santarém/Arquivo)


Uma mulher foi diagnosticada com febre chikungunya em Belterra, no oeste do Pará, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Santarém (Semsa). Apesar de este ser o primeiro caso registrado no município, a paciente procurou atendimento médico no Hospital Municipal de Santarém.

Segundo o coordenador de campo do setor de endemias de Belterra, Francisco Marques, visitas foram feitas na casa da paciente e da mãe dela, que ficam nas comunidades São Pedro e São Francisco da Volta Grande, respectivamente, localizadas nos quilômetros 51 e 33 da Rodovia Federal BR-163.

Para tentar evitar novos registros, o setor de endemias vai deslocar as equipes de agentes para fazer serviços preventivos e de orientação nas duas localidades. “Na comunidade São Francisco a gente já trabalha em todos os ciclos visitando os domicílios, e a comunidade na qual ela mora tem uma parte rural que não trabalhamos direto, mas vamos intensificar os serviços lá”, contou o coordenador de campo.

Outros casos

A Semsa Santarém também confirmou um caso em Mojuí dos Campos. Mas, segundo a titular da Secretaria de Saúde do município, Adeliane Frota , a pessoa teria viajado de Manaus para a cidade com os sintomas de chikungunya. “A notificação foi feita logo na chegada da paciente há uns dois meses, através da investigação feita pela equipe de endemias com a paciente, que informou que teria vindo de Manaus e que havia sentido os sintomas desde lá”, disse a secretária.

Em Santarém, até o início deste mês apenas 11 casos foram registrados pela Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa), mas em menos de 30 dias esse número subiu para 20. Segundo a Divisa, 80% das pessoas infectadas que tiveram os casos confirmados, procuraram o órgão para coleta de material que foi enviado para Belém onde passou por análise e confirmação da doença.

Sintomas

A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nome chikungunya significa “aqueles que se dobram”, em referência à postura que os pacientes adotam diante das penosas dores articulares que a doença causa.

Entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado, o paciente apresenta febre repentina acompanhada de dores nas articulações. Outros sintomas, como dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele, fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares.

Em média, os sintomas duram entre 10 e 15 dias, desaparecendo em seguida. Em alguns casos, porém, as dores articulares podem permanecer por meses e até anos.

Não há um tratamento capaz de curar a infecção, nem vacinas voltadas para preveni-la. O tratamento é paliativo, com uso de antipiréticos e analgésicos para aliviar os sintomas.

POST : WALDEMIR SANTOS 
INFO : DO G1SANTAREM 

waldemir

Radialista/Blogueiro,