GARÇOM É EXECUTADO A TIROS EM MARITUBA

HOMICÍDIO -MARITUBA-PA

Ao lado do corpo estava a sua bicicleta e nos bolsos todos os pertences pessoais e o aparelho celular. Nada foi roubado. Caído de bruços na pista, José Humberto Oliveira Lira, de 44 anos, garçom, não resistiu aos graves ferimentos causados pelos 5 disparos contra a sua cabeça e morreu no local. Nenhum motivo e nenhuma informação das circunstâncias do assassinato da vítima foram descobertos tanto pela polícia quanto pelos familiares.

Os moradores das proximidades da rua Tupinambás, no bairro São João de Deus – conhecido popularmente como “Pato Macho” –, no município de Marituba, contaram à polícia que teriam escutado apenas os estampidos dos disparos de arma de fogo, no início da madrugada de ontem (6), por volta de 0h20. O local do crime possui um extenso muro de um lado da via, pertencente a um abrigo, e do outro há residências, um terreno bastante escuro e algumas ruas, mas ninguém teria presenciado o homicídio.

FAMILIARES DE JOSÉ LIRA CONTAM QUE ELE NÃO TINHA ENVOLVIMENTO EM CRIMES

A equipe comandada pelo sargento da Polícia Militar (PM) Edmilson Pantoja, da 1ª Companhia (Cia) do 21º Batalhão de Polícia Militar (BPM), colheu os primeiros relatos do caso, mas os moradores do trecho não contribuíram em nenhum fato para ajudar nas investigações. “Ninguém sabe de nada aqui. Ainda não há suspeito e nem mesmo motivação para o assassinato. A família diz que ele era trabalhador, garçom em um bar e nunca foi preso”, afirmou.

Ainda bastante comovido com a morte de José Humberto Oliveira Lira, Carlos Lenilson, cunhado da vítima, observava o trabalho dos peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e contou que os parentes desconhecem quem e quais motivos alguém teria para matá-lo. “Ele trabalhava como garçom em um bar aqui perto. Não era envolvido com a criminalidade e nem nada disso. Ele estava voltando do trabalho e vinha para a casa de uma irmã que morava aqui perto”, disse.

Durante o levantamento de local os peritos encontraram todos os pertences pessoais da vítima nos bolsos, além de 5 perfurações na cabeça. “Ele foi atingido com cinco tiros e todos foram na cabeça. Nada foi roubado”, explicou João Nazareno Melo, perito criminal. O corpo de José foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) e o homicídio será investigado pela Seccional Urbana de Marituba.

POST:WALDEMIR SANTOS

DOL

(Fabrício Nunes/Diário do Pará)

waldemir

Radialista/Blogueiro,