Dom Hélder Câmara está na fila para se tornar santo

 

Dom Hélder Câmara 


Primeira etapa do processo de canonização de dom Hélder Câmara deve ser concluída ainda neste semestre. Religiosos apostam na mensagem de solidariedade e igualdade do arcebispo para atrair mais fiéis à Igreja Católica
Diante dos atos de repressão e violência, das violações de direitos humanos e das liberdades individuais no período do regime militar, o cearense dom Hélder Câmara, bispo auxiliar do Rio de Janeiro e arcebispo de Olinda e do Recife, não se calou e tornou-se a voz dos brasileiros em um período em que expressar a opinião poderia ser considerado crime. Conhecido pela defesa dos mais necessitados e protetor dos direitos civis, o brasileiro está na fila para ser declarado santo pelo Vaticano. A primeira fase do processo de canonização deve ser concluída ainda no primeiro semestre deste ano.

O frei Jociel Gomes, que trabalha em um convento de Caruaru (PE), é um dos responsáveis pelo processo de canonização de Dom Hélder. No momento, o Brasil possui seis santos oficializados pelo Vaticano, mas, ao menos 80 nomes aguardam análise do clero da Igreja Católica Apostólica Romana. O pedido foi enviado ao Vaticano em 2015 e leva em conta fatores da vida pessoal, objetivos e o trabalho realizado em prol do cristianismo.

Nascido em Fortaleza, em 1909, dom Hélder tornou-se sacerdote aos 22 anos. É um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). “Dom Hélder atuou na proteção dos mais fracos durante o regime militar e foi muito difícil. Ele era opositor de todo aquele sofrimento, das torturas e das violações contra a liberdade de expressão. Ele sempre pensava nas necessidades que as pessoas mais pobres passavam. A lição que ele nos deixa é que devemos realizar o enfrentamento por meio do Evangelho. Os cristãos devem se preocupar com a sociedade, não apenas com os próprios problemas. Toda essa vida voltada aos necessidados nos fez pedir sua santificação”, destaca frei Jociel.
O processo de canonização envolve duas etapas. A primeira, chamada de fase diocesana, analisa uma série de documentos e apanhados históricos sobre a pessoa a ser santificada. A comprovação de uma vida digna da honraria ocorre por meio de relatos de testemunhas, diários, correspondências enviadas e demais publicações. Depois da fase diocesana, os documentos são enviados para o Vaticano. Na sede da Igreja Católica, é nomeado um relator. Antes de ser reconhecido como santo, o sacerdote é nomeado beato, quando ao menos um milagre é comprovado. Para a canonização, são necessários ao menos dois milagres comprovados. Dom Hélder Câmara está com o processo de beatificação em andamento e aceito pelo Vaticano.

POST:WALDEMIR SANTOS

POR:Correio Braziliense

COM INFO:O ESTADO NET

waldemir

Radialista/Blogueiro,