Hospital Regional de Santarém realiza primeiro transplante de rim em 2017

 

01_nbSqx26
Jovem de 24 anos recebeu órgão doado pelo próprio pai no dia 10 de janeiro.
Outros transplantes devem ocorrer ao longo desta ano.

Previsão é de que a unidade realize 24 procedimentos em 2017, com uma média de dois por mês
O Hospital Regional de do Baixo Amazonas (HRBA) confirmou nesta sexta-feira (13) a realização do primeiro transplante de órgão em Santarém, oeste do Pará, no ano de 2017. O procedimento ocorreu na terça-feira (10), quando o jovem Rodrigo Aquino de 24 anos recebeu um rim doado pelo próprio pai, Frandenilson Aquino, que tem 46 anos.
Segundo o doador, o transplante marca o fim de um longo tratamento e fica a sensação de dever cumprido por ter a chance de contribuir com esta conquista. “Eu me sinto uma pessoa realizada em poder ter ajudado o meu filho, tirar ele dessa máquina, que é uma rotina estressante e cansativa para qualquer pessoa. Estou muito satisfeito. Agora ele vai poder retornar à vida normal”, conta Frandenilson Aquino.
Longe das máquinas de hemodiálise, que fizeram parte de sua vida durante 18 meses, Rodrigo não vê a hora de voltar a trabalhar e poder aproveitar mais a família e amigos. “Eu trabalhava quando descobri que que estava doente, é meio chato, né? Depois, não pude fazer mais nada, só tinha que fazer o tratamento. Então, é ótimo poder viver bem de novo. Quero me recuperar e poder voltar a trabalhar. Só tenho a agradecer ao meu pai”, diz Rodrigo.

Em 2016, o HRBA realizou três transplantes nos últimos dois meses do ano. Para 2017, a meta é ampliar o serviço. “O desafio é começar o transplante com doador falecido. A previsão é realizar pelo menos seis captações de múltiplos órgãos. A nossa programação é totalizar o ano com 24 transplantes, sendo 12 entre vivos e 12 de doadores falecidos”, explica o responsável técnico de transplantes do HRBA, nefrologista Emanuel Espósito.
Para isso acontecer, no entanto, é necessário que o número de doações de órgãos cresça.
Em 2016, apenas duas captações foram realizadas. Em 2015, nenhuma. “Temos que

aguardar que a população se conscientize da necessidade e responda sim na hora de doar. Nós sempre desejamos que todos tenham muita saúde, mas, se eventualmente acontecer o pior, e um ente querido vier a falecer, a esperança é de transformar a dor em alívio para outras pessoas”, conscientiza Espósito.

O diretor-geral do Hospital Regional, Hebert Moreschi, diz que o programa de transplantes tem sido muito positivo para a região, e que 2017 será um ano promissor. “A implantação deste programa foi um sucesso. Agora, o hospital caminha a passos largos para ser uma referência em todo o Norte para realização de transplantes renais. Além disso, vamos trabalhar para conseguir realizar transplante de outros órgãos, como o fígado, para o próximo ano. Então 2017 é um ano de muito potencial, de muito crescimento para o HRBA”, finaliza Moreschi.

INFO: G1 SANTAREM

POST:WALDEMIR SANTOS

waldemir

Radialista/Blogueiro,