Limite de empréstimos no Brasileirão causa tensão na Chape

img_8513

Limite de empréstimos no Brasileirão causa tensão na Chape; CBF esclarece
Artigo do regulamento veta mais de cinco empréstimos durante a competição e provoca tensão na diretoria de futebol, que terá de montar equipe ao longo de 2017


Novo diretor da Chape, Maringá temeu não conseguir montar time para o Brasileiro (Foto: Alexandre Lozetti)
Uma interpretação do regulamento do Campeonato Brasileiro causou apreensão no primeiro dia de trabalho da nova diretoria de futebol da Chapecoense. O departamento identificou um artigo que impede um clube de ter, em seu elenco, mais de cinco jogadores emprestados de equipes da mesma divisão.
– Falam tanto em ajuda à Chapecoense, empréstimo de jogadores, mas o mais importante é a mudança desse item. Se não cair, não temos como fazer um time. Vamos pedir ao presidente que mande um ofício à CBF ou então não teremos como nos reconstruir – afirmou o diretor Joao Carlos Maringá.
A reportagem do GloboEsporte.com entrou em contato com a CBF, e Reynaldo Buzzoni, diretor de registro e transferência da CBF, por meio da assessoria de imprensa, esclareceu que esse veto só existe durante o Campeonato Brasileiro.
Ou seja, a partir da primeira rodada, os clubes não podem contratar por empréstimo mais do que cinco atletas de adversários da mesma divisão. Negociações em definitivo são liberadas. A CBF alega que essa medida impede a desfiguração de equipes ao longo da competição, em tentativas de corrigir um mau planejamento de início de temporada com pacotões de reforços.
Em janeiro, não há nenhum limite para qualquer tipo de transação. Mas a preocupação não deixa de existir, já que a diretoria prevê a montagem do elenco ao longo de toda a temporada, em razão da quantidade de jogadores que serão contratados. Ainda é possível que a Chape solicite ao presidente Marco Polo Del Nero a exclusão desse item do regulamento.
Empréstimos em condições favoráveis serão o suporte da reconstrução do elenco da Chapecoense, que teve 19 jogadores mortos e três gravemente feridos no acidente com o avião que transportava a delegação para a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, em Medellín. Aberta a oferecimentos de ajuda dos demais clubes, a Chape ressalta, no entanto, que não quer atletas que não sejam úteis em seus times de origem.
– Recebemos com muita satisfação as ofertas e listas, mas traremos jogadores que nós queremos. Não traremos jogadores que foram disponibilizados por outras razões. Seremos razoáveis na escolha, mas não abriremos mão da análise de quem nos interessa. Se o clube parceiro não compreender isso, fica difícil. Não quero parecer antipático, mas precisamos de jogadores de qualidade. Não posso contar com jogadores dispensáveis – afirmou o diretor executivo Rui Costa ao GloboEsporte.com

 

Por Alexandre Lozetti
Chapecó, SC

INFO:GE

POST:WALDENIR SANTOS

waldemir

Radialista/Blogueiro,