Santarenzinhoe é o bairro que mais registra casos de violencia contra a mulher

Na semana em que a Lei Maria da Penha completa 10 anos (7 de agosto), mapeamento feito pelo Centro de Referência à Mulher em Situação de Violência – Maria do Pará, mostra que o Santarenzinho é o bairro com maior índice de violência doméstica contra as mulheres. Os bairros Uruará e Diamantino também figuram entre os que mais têm registro de violência contra a mulher.

“Nós temos um mapeamento com dados dos atendimentos feitos pelo Centro Maria do Pará. E a gente faz o mapeamento justamente para trabalhar as ações. Quando a gente sabe onde está concentrada a violência a gente vai fazer palestras, sensibilização da comunidade e orientação às mulheres para que elas saibam para onde se dirigir caso sejam vítimas de violência. E o Santarenzinho aparece disparado no nosso mapeamento, como o com maior índice de violência doméstica”, informou Ângela Maciel, coordenadora do Centro Maria do Pará, em Santarém.

De 2011 até dezembro de 2015, o Centro Maria do Pará, mantido pelo município, atendeu 1.157 mulheres vítimas de violência. Desse total, 355 foram de demanda espontânea, ou seja, sem encaminhamento por nenhum dos órgãos da rede de proteção. Procuraram o Centro por livre iniciativa.

Em 2016, de janeiro a julho, o número de atendimentos a vítimas de violência é de 290, sendo 281 demandas espontâneas e 89 não demandas. No mesmo período, 931 mulheres receberam atendimento de retorno no Centro Maria do Pará. São mulheres que já foram atendidas em anos anteriores, mas que não perderam contato com o Centro que faz o monitoramento da situação em que elas se encontram.

Segundo Ângela Maciel, mais de 90% das mulheres atendidas pelo Centro Maria do Pará, são das classes com menor poder aquisitivo e baixa escolaridade. Mas há entre as vítimas de violência encaminhadas ao Centro, profissionais liberais, servidoras públicas, mulheres com formação de nível superior, que apesar de trabalharem fora e terem condições de se sustentar sofrem violência física e psicológica dentro de suas casas.

Fonte:  OestadoNetf73de8955ea8024f355875fbec16f6f1_XL

waldemir

Radialista/Blogueiro,