Em Santarém, Programa recolhe 10 t de alimentos e doa para instituiçõe

Em Santarém, Programa recolhe 10 t de alimentos e doa para instituições
Objetivo é evitar que parte dos alimentos possam para no lixo. Iniciativa conta com 32 pontos de arrecadação para atender 43 instituições

O Programa “Mesa Brasil” vem trabalhando para combater o desperdício de alimentos nos centros de abastecimentos de Santarém, oeste do Pará. O Objetivo é evitar que parte das frutas, verduras, legumes e grãos que não são comercializados possam ir para lixo, sendo reaproveitados e doados para instituições.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 7 milhões de pessoas passam fome no país e iniciativas como esta ajudam a reverter a triste realidade. Entre os alimentos mais desperdiçados, 30% são cereais, 20% são sementes, carnes e laticínios, 30% são peixes e o restante são legumes e frutas. Os dados são de um relatório da organização das nações unidas para a alimentação e a agricultura.

“A gente sabe que a nossa realidade ainda é o desperdício e as pessoas ainda preferem jogar fora do que doar. Aqui na feira (Mercadão 2000) é onde a gente arrecada nosso maio quantitativo de alimentos, que dá em média 10 toneladas por mês
Margarida Almeida, Coordenadora do Programa Mesa Brasil

Segundo a coordenadora do Mesa Brasil na cidade, Margarida Almeida, o brasileiro ainda precisa se conscientizar sobre a quantidade alimento sobre o assunto. “A gente sabe que a nossa realidade ainda é o desperdício e as pessoas ainda preferem jogar fora do que doar. Aqui na feira (Mercadão 2000) é onde a gente arrecada nosso maio quantitativo de alimentos, que dá em média 10 toneladas por mês. É um trabalho que envolve empresários, instituições sociais, produtores rurais. De acordo com a disponibilidade de doações, a gente arrecada, acondiciona e distribui. No fim do dia, apesar do cansaço, fico realizada”, ressalta.

frutas reaproveitadas  (Foto: Reprodução/ TV Tapajós)

Para coletar tantos quilos de alimentos que são doados semanalmente às instituições selecionadas, uma rede de parceiros foi montada. Um trabalho que já dura quase 11 anos e conta com 32 pontos de arrecadação para atender 43 instituições sociais. Um dos beneficiados pelo programa é o Albergue Municipal, que atende diariamente cerca de 70 pessoas. Segundo a coordenadora da instituição, o apoio é fundamental. “As frutas, verduras e legumes que entram são servidas diariamente no cardápio da casa que oferece quatro refeições. O que é doado pelo programa será sempre muito bem-vindo e nos auxilia bastante”, conclui Arlene Amazonas.

Na cozinha do albergue, os alimentos doados ganham novo destino. Há sete anos, a cozinheira Maria Amélia Lopes tem a missão de preparar o cardápio. Ela recebeu um treinamento para manipular as verduras e legumes e mantê-los bons para o consumo mesmo após meses da doação. “ A macaxeira, a gente descasca toda, limpa e coloca nos sacos de um quilo para serem congelados, o que pode fazer com que elas durem até um ano. Assim fazemos com os outros alimentos que podem durar um tempo maior até serem usadas. É muito significante que tudo o que a gente ganha possa ser armazenado e me sinto muito feliz”, conclui Maria.

  • Fonte: G1 Santarém

waldemir

Radialista/Blogueiro,